Não há tempo a perder (Amyr Klink) – Frases de Livros

Amyr Klink: não perca tempo deixando de ler este homem!

Mais um livro fantástico, praticamente uma biografia a partir de uma entrevista que o autor deu. Ler Amyr Klink é viajar pelo mundo, é navegar com ele e principalmente ter a lição de humildade que “o mundo é muito maior que nossa bolha”.

Recomendo fortemente! Seguem as melhores frases:

  • Ele tem um vínculo radical com algumas decisões que toma , mergulha nelas . Lá no fundo sabe que vai se empenhar inteiro , o tempo que for , até fazer . Se tiver que morrer no caminho , paciência , é outro problema . Essa certeza o ajuda bastante .
  • Meticuloso , sem traço de arrogância , admite que sente medo , muito medo – e por isso desenha minuciosamente cada viagem , quantifica os problemas , busca soluções simples e inovadoras.
  • Amyr gosta de desafios logísticos mas sabe que nenhum planejamento é perfeito , e pior que naufragar pode ser nunca seguir em frente . É preciso finalizar e partir .
  • Acho que o grande “ corajoso ” é aquele que tem plena consciência de seu medo , e , sendo esperto , sabe administrá – lo ” . De Hélio Setti Júnior para Amyr
  • Há situações em que você sabe que não pode desperdiçar tempo algum , não pode deixar para depois , senão vai morrer . Isso acontece em alto mar , onde ninguém tem o direito de dormir antes de resolver um problema .
  • A busca por segurança total é uma ficção , assim como a liberdade sem limites nos engana . Podemos nos considerar seguros , confortáveis , vendo televisão no sofá , postando fotos no facebook , adiando decisões importantes só por mais um dia , mais uma hora , sem plena consciência do risco .

Se a gente não se movimenta , não persegue , não arrisca , as coisas continuam do mesmo modo onde sempre estiveram .

  • Sorte ? Você é que constrói suas oportunidades . Novos caminhos não vão aparecer pela sorte .
  • Se deixasse por conta de minha disposição , não funcionava . Nada prosperava daquela forma tão caótica , em que vivia refém da falta de regras , de uma falsa liberdade .
  • Enquanto acreditava ser capaz de fazer qualquer tarefa , apenas obedecendo a vontade , estava me enganando .
  • viemos de uma cultura escravocrata , do ter alguém para fazer , do mandar fazer , do ser bem servido . Não cultivamos a arte do fazer , a expressão cultural do ser humano . Não temos curiosidade e respeito pelo que outros fizeram . Montar , desmontar , entender como as peças se encaixam , se gastam ou podem ser reaproveitadas : esse é um trabalho que não nos interessa . Queremos pronto , e que alguém faça . É a síndrome do colonizado , não consegue conceber nem praticar a vivência da execução .
  • O Arlindo era duro , autoritário , mas engraçado , todos os dias repetia algumas expressões clássicas , como a que ficou famosa em nosso grupo : “ para um barco ficar competitivo precisa bater mil horas na água ” . Mil horas é um ano , 365 dias . Não podíamos parar de remar no Natal , no dia em que a mãe morreu , no dia em que a namorada foi atropelada . Não parar nenhum dia . Mil horas na água . O Arlindo dizia isso todo dia . Mil horas . . .

“ Amyr suporta os momentos de tensão sem entrar em crise . Sempre foi calmo , frio . Nunca vi o Amyr em pânico – e eu o conheço há quarenta anos .

  • Você consegue o compromisso das pessoas demonstrando o seu próprio .
  • A verdade é que sou bastante tímido , não me dá prazer algum comandar pessoas , dar ordens , tudo o que eu puder fazer sem que ninguém perceba , entrar e sair sem que ninguém veja – eu prefiro . Prefiro ficar na cozinha , no fundo da sala , prefiro que ninguém saiba que eu entrei . Desde criança sou assim . E me incomoda zero . Adoro ser assim , adoro ser tímido , de verdade . Mas há situações em que me envolvo diretamente , como na construção de um barco . Quando me dou conta centenas de pessoas em vários lugares do mundo estão trabalhando comigo . E um dos aspectos mais interessantes que venho percebendo entre os líderes eficientes não é a idealizada capacidade de comandar , o carisma , mas a capacidade de ceder
  • Os líderes mais competentes são aqueles que têm capacidade de sacrificar a vontade própria .
  • O líder precisa saber fazer , ou pelo menos ter tentado , constatado , que não é capaz de fazer . Eu , por exemplo , não sei soldar . Já tentei , sou um desastre . Sei como é difícil fazer isso . Não posso ficar martirizando uma pessoa que não faz uma solda impecável porque não vou conseguir , se tentar . É fundamental se colocar na posição de quem está abaixo .

Como no barco a vida é promíscua , você não consegue esconder seus vícios , defeitos , se tem algum problema de índole , ou mesmo se não tem nenhum . Não há como esconder , em uma questão de dias você se revela para o grupo . Durante o sono você vai revelar quem é , na hora de cozinhar , na crise , na calmaria . Não tem como esconder quem você é de verdade . Controlado , controlador , dissimulado , preguiçoso , não tem como iludir seu grupo .

  • Consegue ficar calmo , tem habilidades mecânicas raras , vai resolvendo tudo , uma coisa de cada vez . Com os anos eu fui entendendo porque ele consegue reagir ao estresse a bordo com tanta naturalidade e competência . Médico que já fez sete mil amputações de pernas e braços , no comando de intervenções cirúrgicas em ambientes de extrema miséria , sem recursos , sem anestesia , ele aprendeu a lidar com a morte de forma muito próxima – e adquiriu controle extremo para enfrentar situações – limite . Ele já me chamou para assistir cirurgias e amputações , e fiquei pasmo com o sangue frio do sujeito . Sua profissão exige que aja com eficiência em condições muito precárias . E ele consegue interagir com o doente de uma forma cativante . Já vi o Fábio conversar com um paciente e fazê – lo rir minutos antes do homem entrar numa operação em que iria amputar as duas pernas .
  • A tendência é que a pessoa que ascende a uma posição de liderança se torne prepotente . Esse talvez seja o maior risco . Por mais habilidades intrínsecas que você tenha para comandar processos , trabalhar em igualdade é uma virtude ainda rara .
  • Não há pior desastre que o líder prepotente , que ignora os erros , como aquele diretor da SAMARCO . No dia seguinte à tragédia da cidade de Mariana , causada pela empresa de mineração , ele afirmou que a instituição nada fizera de errado e que não havia porque se desculpar . Só por essa declaração merecia amargar o resto da vida na prisão .
  • O sujeito é pago para determinada função e só exerce estritamente as suas tarefas . Não posso respeitar esse profissional que não se integra e entende plenamente as necessidades daquela conjuntura , de sua empresa ou seu país

O Brasil tem preponderância no cenário mundial , mas insistimos no erro da visão individualista , pensamos como uma nação de quinto mundo . Pensamos na minha casinha própria , no meu carrinho , no meu lugar na fila .

  • A experiência no banco foi boa pra descobrir o que eu não queria fazer , portanto uma das mais importantes da minha vida . Cada um precisa ouvir suas necessidades , seus próprios sonhos .
  • Foi um dos moradores das ilhas que me disse outra frase difícil de esquecer : “ se você não pode mudar sua atividade , aprenda a gostar do que faz ” .
  • “ Nossa , Amyr , eu trabalho aqui há oito anos e nunca vi o relógio do mosteiro bater às três da tarde ” . Respondi com mais incredulidade ainda : “ Como não ? Ele bate todo dia , é só ir até lá e ver ” . Quando ele retrucou que seria impossível , pois trabalhava todo dia , sem escalas , de oito às cinco , caiu a ficha . Estava encerrando o segundo ano do estágio e pensei na melhor hipótese possível : sou admitido definitivamente pelo banco e me torno presidente em cinco anos . Eu cortaria os pulsos . Não quero ser presidente de banco por nenhum dinheiro na Terra , foi o que pensei . E resolvi me mudar para Paraty .
  • Quando você se apaixona por uma ideia , mesmo que utópica , ou extremamente arriscada , vai encontrando meios e determinação até o ponto em que acontece . Tudo para mim demora . Essa é outra agonia que eu tenho . No final acontece do jeito que eu queria , mas no começo demora . Sinto essa ansiedade de que tudo tarda porque começo a pensar muito antes de acontecer .
  • Tenho um vínculo radical com algumas decisões que tomo , mergulho nelas . Lá no fundo sei que vou me empenhar inteiro , o tempo que for , até fazer . Se tiver que morrer no caminho , paciência , é outro problema . Isso me ajuda bastante . Mesmo as ideias mais absurdas podem se tornar factíveis se você se compromete a destrinchar cada pedaço do caminho . É um trabalho complexo , e esse desafio logístico me fascina . Traçar conexões entre as partes e montar o quebra – cabeça .
  • Estava um pouco farto da incredulidade das pessoas , que ficavam boquiabertas quando eu mencionava a ideia . Achavam que eu estava louco . Talvez estivesse , mas construíra uma base de dados que me convencia das possibilidades concretas daquele projeto funcionar .
  • os canoeiros , que ganham seu sustento construindo as próprias embarcações , e muitas vezes não são alfabetizados , ou não tem dentes , podem nos revelar uma sabedoria surpreendente , inigualável , adquirida através de sua relação cotidiana com o mar .

Simplesmente ir de carona não é uma coisa que me anima . Quando você desenha o barco , cuida da construção , do transporte , da regularização , dos equipamentos , de tudo – é uma experiência completa . Esse é o diferencial .

  • Amundsen viveu mais de um ano em uma comunidade de esquimós , para entender seus pequenos hábitos .
  • Que diferença faria um punhado de ameixas ou jacas secas , no café da manhã ? Ela respondeu que uma ameixa seca pesa 10 gramas e , se colocasse uma ameixa seca inteira em cada pacote , afundaria o barco . Sim , era só fazer as contas : estava levando 98 mil pacotes divididos em 11 dietas diferentes , com 2.050 itens distintos . Se em cada pacotinho entrasse uma ameixinha a mais , seriam 980 mil gramas , quase uma tonelada de ameixa seca . . .
  • Conheço muita gente que passa a vida inteira construindo um barco , que jamais vai considerar perfeito para a viagem – o que pode ser uma boa desculpa para a eterna espera do momento certo . Pensam , elaboram , redesenham . Mudam a rota , esperam a chegada de um novo equipamento por alguns anos . Sou metódico e perfeccionista , quando estou desenhando um projeto , mas também preciso seguir prazos , cronogramas – e um dos compromissos ao longo do tempo é dar início .
  • A parte mais importante do planejamento é quando ele sai do papel e alcança o mundo real .
  • Ele não se prestava para comandar sozinho o barco , era muita teoria junto , e isso é incrivelmente comum . Você erra até pelo excesso de experiência , não pela ignorância . Ou seja , o que mata um projeto às vezes é a prepotência intelectual , é a imposição da solução , o fato de você não ouvir . É muito comum você não ouvir quando já tem experiência . Você precisa ter sempre uma dose de humildade . Saber ouvir . Ceder .
  • Mas no Brasil nos falta orgulho de produzir , nos falta resiliência . Há um desânimo maior nos desempregados . Os brasileiros vêm sofrendo duramente com o recente declínio da atividade econômica – mas existe acomodação , também . Infelizmente , o Brasil é aquele país do mais ou menos . Do meia – boca . Engenharia , planejamento , economia , tudo se resolve sem rigor , sem a determinação de se atingir o máximo com o mínimo . Não buscamos a excelência , preferimos o caminho mais rápido , mais fácil , o jeitinho pelo qual depois teremos que pagar um preço muito mais caro .

E que diferença , quando você ancora numa estação brasileira , o calor com que recebem as pessoas . Brasileiros têm alguns defeitos como desorganização , memória curta , impontualidade , incapacidade de dizer não , detestam pensar sobre o próprio futuro . . . . Mas uma qualidade brilha , nestes tempos de individualismo e competição : a hospitalidade .

  • Quand il faut , il faut é uma expressão em francês , simples e da qual gosto muito , que traduz essa situação : quando é preciso , é preciso . Se para sua segurança você vai precisar se levantar , no meio da noite , e abaixar as velas , duas , três , dez vezes – faça isso . Em alto mar você adquire essa certeza , de que precisa fazer o que é necessário . E ponto final .
  • Já sofri de depressão algumas vezes , mas nenhuma no mar . É um lugar onde não existe espaço para você se sentir só .
  • Se meus pais me deixaram uma herança importante , foi essa : a de não me orientar pela posse dos bens materiais . Cultivava um desejo muito mais complexo de ser satisfeito – que era o de possuir o tempo . Uma única vez , durante um ano , ser o único proprietário do meu próprio tempo . Foi assim que nasceu a ideia de passar um ano na Antártica .
  • Foi nesse momento que me dei conta da existência de tarefas que nunca se encerram , que precisam ser feitas e refeitas a cada dia . Não podemos antecipar o tempo de fazê – las . Por melhor e mais avançada que seja a tecnologia usada , o ser humano não pode possuir o tempo .
  • Nove meses depois também nasceu o primeiro barco do estaleiro . Conseguimos juntar os primeiros clientes que apostavam nesse princípio , em que o desafio não era colocar , mas tirar tecnologia .
  • Elas se mostraram incrivelmente sábias . Quando o mar estava forte , em dias de tempestade , entendiam perfeitamente o ambiente de risco – e não subiam para o convés . As crianças , os jovens , podem nos surpreender , quando ainda estão com seu HD vazio , com sua capacidade de assimilação completamente desconectada de preconceito .

Muita gente já nos falou : mudei minha vida por causa de seu pai ! Dá para entender porque , mas a gente tenta separar esse lado mais público – do pai que a gente encontra todo dia .

  • Mas foi mamãe também quem nos ajudou a superar aquelas ausências prolongadas . Ela nos ensinou a ter orgulho da ausência dele – não estava em casa porque suas viagens eram importantes , era essa a natureza do trabalho que ele escolheu e que passamos a amar também .
  • E nunca gosta de ver a gente à toa . Quando passa pela casa e vê uma de nós desocupada , sempre pergunta : por que está zanzando aí ? Não tem alguma coisa pra fazer , filha ? ”
  • Tenho uma visão de conjunto : quanto mais concorrentes você tem , maior é o seu negócio . Com um número maior de pontos de parada , é possível ganhar mais circulação entre os barcos , e também uma maior quantidade de diaristas ao invés de mensalistas . Quanto mais barcos em atividade , maior o negócio . O empresário brasileiro é limitado . Não consegue entender . Ele quer a morte do concorrente . Uma verdade que os comerciantes de antigamente compreendiam melhor , quando havia a rua dos tecidos , a rua dos vidros , das ferragens etc . Essa é uma visão madura , de que o crescimento de um setor torna o negócio de cada um mais forte .
  • O ser humano hoje precisa ter uma experiência autêntica na sua vida – isso é que está faltando . Os jovens têm preguiça , voltamos a viver numa época em que o moleque fica anos pendurado no colo do pai , da mamãe . Quando eu era jovem , isso era uma vergonha . O que eu mais almejava era sair de casa , construir coisas , construir minha vida de forma independente da família . Hoje o contexto mudou , você tem muito estímulo para ficar em casa , se aquietar , só vendo o outro moleque se atirando pelo precipício , pela TV . É legal olhar . Mas é importante sentir o cheiro , tocar , encontrar , viver a experiência , fazer parte da foto . A maioria não sai para viver sua própria vida , o que é uma pena .
  • Amo viajar até a Antártica porque é um continente utópico : não tem dinheiro , não tem bandeiras , não tem patriotismo . É uma situação muito especial na Terra . A Antártica pertence ao planeta , é um lugar que não é das pessoas , é do mundo . Você tem que se curvar , se ajoelhar , diante de tamanha beleza .
  • Com um barco , você não vai apenas atrás do mundo , mas coloca pedaços do mundo , por onde anda , nas janelas de sua casa .

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.