Sobre ficar alheio as coisas

Temos informações demais ao longo de um dia.

Notícias da guerra; do Neymar ter levado o terceiro amarelo; de alguém que foi cancelado; do tapa de Will Smith; do BBB; do mercado que trabalhamos; de livros que lemos; podcasts que ouvimos, e por aí vai.

Não sei de vocês, mas eu entendo que tenho um limite para as informações que absorvo em um dia – e por consequência um limite na semana, no mês, no ano…

E mais: para conseguir “percorrer milhas antes de dormir” como diria o livro “Vamos comprar um poeta”, ou seja, para ler 30-60min de um bom livro antes de dormir, não posso estar com a cabeça tão cheia.

Afinal, entre BBB e um livro, preferirei sempre o conhecimento do livro“Se você quer sugar o cérebro de alguém, você deve simplesmente ler um livro”.

O que quero dizer é: não seja uma pessoa culpada por estar alheia a alguns elementos, mesmo que são/foram importantes pra você.

Tem fases da vida que você não vai conseguir acompanhar aquela série de TV; ou não ver todos os filmes do Oscar; ou não vai acompanhar seu time do coração todo jogo; ou até não vai conseguir ver certos amigos com tanta frequência, ou até continuar aquele projeto. Faz parte. Prioridades. É sobre maturidade, é sobre sua vocação.

Respeite a fase atual da sua vida, seus objetivos de agora. Se adapte, e escolha dizer não para algumas coisas e por consequência ficar alheio a isso. E guarde sua energia para o que mais vale a pena no momento.

E quando alguma pessoa falar: “Não acredito que você não viu o texto de ciclano sobre o tapa de Will Smith em Chris Rock” você pode responder: não vi, estou alheio a isso. Simplesmente não é minha prioridade no momento. 🙂

Nota: O tempo que fico sem Instagram é meu grande “case pessoal” com relação a isso tudo, pois ele pra mim é o sugador de energia mais poderoso que existe! risos. Se quiser se aprofundar, leia mais: “Minimalismo no Instagram: um experimento”.

Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.